2º Concerto – Douglas Worthen (Flauta – EUA)

A segunda noite do Compositores de Hoje ofereceu um programa dedicado exclusivamente em compositores americanos e deu aos ouvintes uma ideia da força e profundidade da música contemporânea nos EUA.

O solista da noite foi o flautista Douglas Worthen, professor na Southern Illinois University, no coração dos EUA, ou seja, longe de qualquer grande cidade. O programa e a interpretação foi do mais alto nível, boa o suficiente para atrair a atenção em qualquer grande metrópole – ou, como gostamos de dizer, world-class. Igualmente impressionante foi o fato da maior parte de todas as obras serem encomendas do próprio Worthen,

A primeira boa surpresa foi uma peça extensa, em um único longo movimento, para flauta e sons pré-gravados – Sorrow, Like Pleasure, Creates Its Own Atmosphere (2003), de Gene Pritsker. A obra apresente uma linha jazzística para flauta sobre uma linha de funk para baixo e percussão, com a flauta tocada com entusiasmo por Worthen – uma saudação apropriada ao Brasil. A próxima obra era uma peça mais clássica de Kim Sherman, mas ainda mantendo uma sensação de dança, com um vívido compasso 7/4. Aqui e na última peça do programa, Worthen foi acompanhado pela pianista Junghwa Lee, também da SIU.
Nós então ouvimos uma peça extensa, em 3 movimente, para flauta solo, Pipe, de Frank Stemper, compositor da SIU, que, na minha opinião, foi o trabalho mais profundo e  sincero da noite, especialmente no adagio do movimento central, onde Worthen mostrou sua maestria nas linhas longas. Fechou a noite a First Flute Sonata de  Martin Amlin. Amlin é um pianista acompanhador e Lee tocou a desafiadora parte com destreza e com um toque leve e maravilhoso.
Aplausos ruidosos chamaram trouxeram Worthen de volta ao palco para um bis – uma breve e pungente improvisação para flauta solo. Bravo!
Tom Moore